26/10/2014

Cowtech assiste projeto pioneiro em produção de leite orgânico


A COWTECH tem acompanhado e apoiando com assessoria e consultoria técnica um projeto de produção de leite orgânico na região de São Carlos, mais especificamente, no município de Itirapina, no Sítio Recanto SS, de propriedade da família Saldanha. A propriedade já era assistida há 3 anos dentro do programa de assistência técnica autorizada (NATA) da Nestlé de Araraquara em parceria com a COWTECH. Em meados de 2013, o produtor Claudinê Saldanha Jr, responsável pela gestão do sítio, interessou-se no projeto de produção de leite orgânico já iniciado pela Fazenda da Toca, também no município de Itirapina, um empreendimento audacioso comandado pelo empresário Pedro Paulo Diniz. Para viabilidade do empreendimento da Fazenda da Toca, no caso do leite orgânico, está prevista a construção de uma rede de fornecedores, o que motivou a seleção de potenciais produtores interessados em aderir ao projeto, à filosofia da produção orgânica e sustentável e também interessados em converter a propriedade para esse novo modelo de produção. Motivado pela filosofia de uma produção mais sustentável e pela possibilidade de maior remuneração obtida com o produto orgânico, a família Saldanha iniciou no segundo semetre de 2013 a conversão do Sítio Recanto SS. Iniciaram-se então às primeiras reuniões com a Fazenda da Toca tanto para troca de experiências, quanto para alinhar objetivos, prazos, metas e condições para a parceira. Como a conversão para o modelo orgânico pode durar até 12 meses, o leite continuou sendo fornecido para a Nestlé de Araraquara e o trabalho técnico conduzido pela COWTECH.

Nesse período, o meu desafio como técnico passou a ser muito maior, não só em compreender as necessidades do sistema, mas também em conhecer às restrições quanto ao uso de substâncias, insumos, processos e tecnologias já consagradas na produção convencional, mas que não poderiam ser usados na produção orgânica. Para minha grata surpresa, a conversão do modelo convencional para o modelo de produção orgânica não implica no abandono por completo de preceitos e conceitos técnicos adotados em sistemas convencionais. Isso significa que mais do que radicalmente mudar totalmente a forma de se produzir leite, era necessário adaptar várias tecnologias já utilizadas para o modelo orgânico. A base da produção de forragem que eram pastagens de capim tropical utilizadas intensamente em sistema rotacionado poderia ser a mesma nos dois sistemas, necessitando de ajustes para alterar o manejo das plantas e mudar as fontes de fertilizantes químicos para fertilizantes orgânicos, apenas para citar um exemplo. Outras mudanças envolviam ajustes das dietas e uso de alimentos concentrados, novamente necessitando de adaptações quanto às matérias-primas e insumos que podem ser utilizados, mas que não alteram a necessidade de critérios técnicos quanto a nutrição de bovinos leiteiros para formulação de dietas e agrupamentos em lotes. Em outras áreas, como controle de ecto-endoparasitas, ou mesmo controle de qualidade do leite, o impedimento do uso de drogas químicas tornam os desafios também maiores, mas não impedem a obtenção de bons resultados, pois há alternativas e adaptações de manejo viáveis.




Acredito que o maior desafio nesse processo seja assegurar de modo sustentável, eficiente e com custos razoáveis o suprimento de forragem ao longo do ano todo, um desafio também grande em muitas propriedades no modelo convencional. Embora as pastagens mantenham um bom potencial produtivo no manejo orgânico, o mesmo já não acontece sempre com outras forrageiras conservadas para suplementação no outono-inverno como a silagem de milho e cana-de-açúcar. Então assegurar bons rendimentos nessas culturas, adequado controle de pragas e plantas daninhas, e uso eficiente de fontes orgânicas de nutrientes é um desafio constante. A seleção de tecnologias, equipamentos e insumos, mas muito mais das próprias forrageiras (escolha de melhores cultivares e híbridos) que constituirão a base de produção forrageira do sistema para suprir a demanda anual do rebanho deve ser um trabalho contínuo da COWTECH e do Sítio Recanto SS. Apesar de possibilidade de maior remuneração no sistema orgânico, é necessário salientar que os custos de produção são também maiores e os desafios tanto técnicos, quanto de gestão da propriedade demandam ainda mais técnicos competentes e experientes para assessorar no planejamento das operações.

Nesse mês de outubro, após um eficiente e árduo trabalho, o Sítio Recanto SS foi certificado pelo IBD como propriedade orgânica e iniciou o fornecimento de leite para a Fazenda da Toca. A COWTECH parabeniza os idealizadores do projeto de produção orgânica da Fazenda da Toca e a Família Saldanha pelo sucesso alcançado e sente-se honrada pela confiança que a nós é depositada para continuar assessorar o Sítio Recanto SS nessa nova fase. Esperamos também ampliar nossa parceria com a Fazenda da Toca, onde já mantemos projetos de assessoria na área de mecanização, seleção de equipamentos e também em ambiência e conforto animal.

Quem quiser conhecer um pouco mais do Projeto de Produção Orgânica da Fazenda da Toca pode acessar o link abaixo:

http://www.fazendadatoca.com.br



Paulo Farano Stacchini

Engenheiro Agrônomo pela ESALQ-USP

contato@cowtech.com.br
(14) 99703-9606
© 2013-2016 • Cowtech Consultoria
Todos os direitos reservados